Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Trovoadas

Uma trovoada consiste num conjunto de fenómenos intensos associados a cumulonimbus: relâmpagos, trovões, rajadas de vento, inundações, granizo e, possivelmente, tornados. (wikipedia)

Trovoadas

Uma trovoada consiste num conjunto de fenómenos intensos associados a cumulonimbus: relâmpagos, trovões, rajadas de vento, inundações, granizo e, possivelmente, tornados. (wikipedia)

29
Set10

o abraço insólito

1/3 segundos

Hoje fui apanhado no verdadeiro abraço.

O padre apanha-me na rua e vai dai achou que eu precisava de um abraço... {#emotions_dlg.sarcastic}

 

Até ouvia as risadas da cozinha.

 

Eu ali preso ao homem, que não parava de me apertar.

 

E eu a lembra-me da fama de tarado que ele tem e de apalpar toda a gente... dahhhh

 

Foi um abraço dificil de largar por que ele não me queria deixar ir embora.

 

Porra.

23
Set10

Palavrões

1/3 segundos
 

 

 

Recebi um email com este link. É fantástico. É bom falar mal em português {#emotions_dlg.happy}

 

Transcrição, quase perfeita do texto de Miguel Esteves Cardoso

 

"Já me estão a cansar... parem lá com a mania de que digo muitos palavrões, caralho! Gosto de palavrões! Como gosto de palavras em geral. Acho-os indispensáveis a quem tenha necessidade de dialogar... mas dialogar com carácter! O que se não deve é aplicar um bom palavrão fora do contexto, quando bem aplicado é como uma narrativa aberta, eu pessoalmente encaro-os na perspectiva literária! Quando se usam palavrões sem ser com o sentido concreto que têm, é como se estivéssemos a desinfectá-los, a torná-los decentes, a recuperá-los para o convívio familiar. Quando um palavrão é usado literalmente, é repugnante.Dizer "Tenho uma verruga no caralho" é inadmissível. No entanto, dizer que a nova decoração adoptada para a CBR 900' 2000 não lembra ao "caralho", não mete nojo a ninguém. Cada vez que um palavrão é utilizado fora do seu contexto concreto e significado, é como se fosse reabilitado. Dar nova vida aos palavrões, libertando-os dos constrangimentos estritamente sexuais ou orgânicos que os sufocam, é simplesmente um exercício de libertação.
Quando uma esferográfica não escreve num exame de Estruturas "ah a grande puta... não escreve!", desagrava-se a mulher que se prostitui. Em Portugal é muito raro usarem-se os palavrões literalmente. É saudável. Entre amigos, a exortação "Não sejas conas", significa que o parceiro pode não jogar um caralho de GT2. Nada tem a ver com o calão utilizado para "vulva", palavra horrenda, que se evita a todo o custo nas conversas diárias.
Pessoalmente, gosto da expressão "É fodido..." dito com satisfação até parece que liberta a alma! Do mesmo modo, quando dizemos "Foda-se!", é raro que a entidade que nos provocou a imprecação seja passível de ser sexualmente assaltada. Por ex.: quando o Mário Transalpino "descia" os 8 andares para ir á garagem buscar a moto e verificava que se tinha esquecido de trazer as chaves... "Foda-se"!! não existe nada no vocabulário que dê tanta paz ao espírito como um tranquilo "Foda-se...!!". O léxico tem destas coisas, é erudito mas não liberta. Os palavrões supostamente menos pesados como "chiça" e "porra", escandalizam-me. São violentos.Enquanto um pai, ao não conseguir montar um avião da Lego para o filho, pode suspirar após três quartos de hora, "ai o caralho...", sem que daí venha grande mal à família, um chiça", sibilino e cheio, pode instalar o terror. Quando o mesmo pai, recém-chegado do Kit-Market ou do Aki, perde uma peça para a armação do estendal de roupa e se põe, de rabo para o ar, a perguntar "onde é que se meteu a puta da porca...?", está a dignificar tanto as putas como as porcas, como as que acumulam as duas qualidades.
Se há palavras realmente repugnantes, são as decentes como "vagina", "prepúcio", "glande", "vulva" e "escroto". São palavrões precisamente porque são demasiadamente ínequívocos... para dizer que uma localidade fica fora de mão, não se pode dizer que "fica na vagina da mãe" ou "no ânus de Judas". Todas as palavras eruditas soam mais porcas que as populares e dão menos jeito! Quem é que se atreve a propor expressões latinas como "fellatio" e "cunnilingus"? Tira a vontade a qualquer um! Da mesma maneira, "masturbação" é pesado e maçudo, prestando-se pouco ao diálogo, enquanto o equivalente popular "esgalhar o pessegueiro", com a ressonância inocente que tem, de um treta que se faz com o punho, é agradavelmente infantil. Os palavrões são palavras multifacetadas, muito mais prestáveis e jeitosas do que parecem. É preciso é imaginação na entoação que se lhes dá. Eu faço o que posso."
22
Set10

SCUT?

1/3 segundos

Já era altura de mudar o nome ou a sigla.

Uma vez que SCUT significa Sem Custos para o UTilizador, estas deveriam ser trocadas para algo como CCUT ou então GPELB.

 

Grandes Parvos Encham-me Lá os Bolsos seria a sigla mais correcta a utilizar.

Eu sinto-me verdadeiramente parvo no meio desta história....

 

 

Receitas com as SCUTS - 320-330 milhoes de euros

Número de pessoas prejudicadas: todas as regiões servidas unica e exclusivamente por elas, Milhares e atrevo-me a dizer milhões de pessoas.

 

 

Despesas com a Assembleia da republica - 191.405 milhoes de euros

Número de pessoas beneficiadas: Perto de 300, não me recordo do número com exactidão, mas sei que não sou um deles.

 

 

Continuo a dizer... não me sinto representado por nenhum dos grandes partidos actuais.

Quer dizer, estou agora a ver na televisão que o PCP tem o apoio do BE no seu projecto de lei para revogar o pagamento de portagens nas (ver acima) GPELB.

 

Começo a olhar com curiosidade para a esquerda

22
Set10

Líbia ou Proença a Velha

1/3 segundos

Não sei o que vai por esse mundo fora.

 

Hoje ouvi no rádio, enquanto estava na fila, que na Líbia é permitido aos homens ter sexo com animais. Tem é que ser do sexo feminino....{#emotions_dlg.sarcastic}

Pelo vistos, em Proença a Velha assassinaram um velhote que perseguia os animais para práticas sexuais.... talvez estivesse melhor na Líbia, desde que acertasse no sexo dos bichos. {#emotions_dlg.ninja}

 

 

Lá diria Freud: " A abstinência é a pior de todas as perversões!"

 

 

PS: Perdoem-me ".... o género dos bichos."

22
Set10

Mobilidade

1/3 segundos

Hoje cheguei ao emprego e tive imensa dificuldade em estacionar, depois de ter desesperado na fila para lá chegar.

Só depois é que me disseram que era suposto ter deixado o carro em casa, pois é o dia da Mobilidade.

 

Acho que o problema é ninguém ter sabido disso ANTES de sair de casa. {#emotions_dlg.brrrpt}

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D